Início » Notícias » Autarcas da CIM-Terras de Trás-os-Montes reunidos com Secretário de Estado do Ambiente

Autarcas da CIM-Terras de Trás-os-Montes reunidos com Secretário de Estado do Ambiente

Municípios  defenderam Gestão Agregada dos Sistemas de Abastecimento de Água em Alta e Baixa e do Saneamento. Autarcas querem avançar rapidamente com a intermunicipalização do sistema de abastecimento de água em baixa e do saneamento e receberam a garantia do Secretário de Estado do Ambiente de que em paralelo iria ser também estudada a questão do sistema de abastecimento da água em alta. 

Os Municípios das Terras de Trás-os-Montes vão avançar para a gestão integrada do sistema de redes de água em baixa e do saneamento. A intenção foi manifestada hoje durante uma reunião de trabalho com o Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins. O encontro decorreu nas Sede da CIM-Terras de Trás-os-Montes, em Bragança, e teve como principal objetivo avaliar e debater questões relacionadas com este setor.

Na altura, a maioria dos municípios manifestou interesse em integrar e dar continuidade ao processo para a criação do Sistema de Gestão Intermunicipal da água em baixa e do saneamento, salientando a necessidade de avançar o mais rapidamente com a agregação. Uma forma de garantir uma gestão mais eficiente dos sistemas, ganhando escala, procurando e garantindo soluções conjuntas para a concretização de investimentos que permitam resolver problemas que existem neste campo. Isso mesmo foi também explicado pelo Secretário de Estado, que salientou a vantagem competitiva que os concelhos das Terras de Trás-os-Montes têm a este nível, uma vez que já têm constituída uma empresa Intermunicipal para Gestão dos Resíduos – Resíduos do Nordeste-. Neste campo, garantem os autarcas, estão reunidas as condições para arrancar em definitivo com o processo, até porque o âmbito da Resíduos do Nordeste já foi alargado de modo a abranger também o setor da água e do saneamento. A agregação deverá estar concluída antes do final do verão, de modo a possibilitar concorrer às linhas de financiamento disponíveis para investimentos no ciclo urbano da água.

Os Municípios reivindicaram também a Gestão do Sistema de Gestão da Água em Alta. Neste campo obtiveram a garantia do Secretário de Estado do Ambiente da constituição de um grupo de trabalho para estudar esta questão.  Um trabalho que, defendem os responsáveis autárquicos, deve ser feito em paralelo com o arranque da agregação da gestão da água em baixa.